Publicado em 25/04/2017 às 15h36.

STF determina ‘recolhimento imediato’ do goleiro Bruno à prisão

O pedido foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e votado na tarde desta terça-feira (25)

Redação
Foto: Reprodução/Veja
Foto: Reprodução/Veja

 

A primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, em votação realizada nesta terça-feira (25), pelo retorno imediato do goleiro Bruno à prisão, após pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O pedido de Janot foi aceito por 3 votos a 1. Votaram a favor da revogação da liminar os ministros Alexandre de Morais, Rosa Weber e Luiz Fux.  Já o ministro Marco Aurélio Mello manteve o voto a favor da liminar que concedeu em fevereiro. Com isso, Bruno deve ser reconduzido à cadeia enquanto o processo não é julgado em segunda instância.

Segundo Rodrigo Janot, a liminar que foi concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello deveria ser revogada porque o processo demorou para ser analisado em segunda instância em razão de recursos apresentados pela própria defesa, que estariam postergando o julgamento. O procurador-geral pediu também que os ministros indefiram o habeas corpus, que está pronto para ser julgado definitivamente, já que o pedido foi apresentado pela defesa contra decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que negou liberdade a Bruno. Por isso, segundo ele, não caberia ao STF dar prosseguimento ao pedido.