Publicado em 26/02/2020 às 15h12.

Folia gigante: 16,5 milhões de pessoas circularam nas ruas de Salvador

De acordo com a prefeitura, marca é histórica

Redação
Foto: Valter Pontes
Foto: Valter Pontes

 

O prefeito ACM Neto divulgou, nesta Quarta-feira de Cinzas (26) o balanço final do Carnaval 2020. Segundo o gestor, 16,5 milhões de pessoas circularam nas ruas de Salvador durante os cinco dias oficiais de festa, incluindo o pré-Carnaval e palcos temáticos nos bairros – além de 12,7 mil artistas envolvidos na programação oficial.

O que fez deste o maior Carnaval de todos os tempos, reiterou Neto. Durante coletiva realizada no Camarote Oficial da Prefeitura, no Campo Grande, o prefeito, que cumpre seu oitavo e último ano na administração da capital baiana, destacou ainda que os dias oficiais de folia trouxeram aos foliões 2.600 horas de música e 1.016 apresentações, realizadas tanto nos trios como nas fanfarras, palcos e blocos de chão.

“O ganho definitivo do Carnaval, o legado que deixamos para o futuro da cidade e que não vai mudar, é que as pessoas reencontraram as ruas. O Carnaval voltou a acontecer de forma mais ampla, democrática e participativa, bem diferente de como encontramos em 2013”, comemorou.

Para ele, trata-se de um evento “da harmonia e da alegria”. “Asseguramos os espaços públicos por quem faz o Carnaval, que são as pessoas. Quem está dentro bloco convive perfeitamente com quem está fora. É possível curtir grandes atrações sem precisar comprar abadá”.

Muita música
Ao todo, foram 210 atrações sem cordas. O folião pipoca pôde se esbaldar, destacou ACM Neto, nos Circuitos Dodô (Barra/Ondina), Osmar (Campo Grande) e Batatinha (Pelourinho).

Os números dão conta de que mais de 1,1 milhão de pessoas participaram do Carnaval nos Bairros, que aconteceu na Boca do Rio, Nordeste de Amaralina (Circuito Mestre Bimba), Itapuã, Pau da Lima, Liberdade, Cajazeiras, Periperi e Plataforma e nos Espaços Temáticos (palcos do Rock, Origens, Mix, Terreiro do Samba, Multicultural, Beco das Cores e Torre Eletrônica). Já o Carnaval Náutico reuniu 200 embarcações na Baía de Todos-os-Santos.

“Salvador vive seu melhor momento das últimas décadas. O Carnaval não teria tido essa proporção se a cidade não tivesse se transformado”, resumiu ACM Neto.

Segurança
Não houve mortes registradas no Carnaval de Salvador. Esse ano, ainda segundo análise da prefeitura, a festa foi marcada pela tranquilidade, sem ocorrências graves. A Guarda Civil Municipal registrou, por meio do Núcleo de Estatísticas, 1.501 atendimentos no apoio aos órgãos públicos e ao cidadão, representando um aumento de 41,5% em relação ao ano passado (1.061).

Além disso, foram contabilizadas 20 ocorrências, representando uma redução de 41,5%, em relação a 2019, quando foram anotados 45 registros. Nas ações em apoio à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), foram registradas a apreensão de 2.522 objetos perfurocortantes, representando um aumento de 118,5% em relação ao mesmo período do Carnaval do ano anterior (1.154).

Saúde
A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) realizou 5.630 atendimentos até às 5h desta Quarta de Cinzas (26), sendo 5.613 nos postos do circuito. O número representa aumento de 13% em relação ao ano de 2019. Além disso, 17 atendimentos ocorreram nos postos fixos.

O circuito Dodô (Barra/Ondina) realizou 4.051 atendimentos, enquanto que o Osmar (Campo Grande) foi responsável por 1.366 atendimentos e circuito Batatinha (Pelourinho) por 196 atendimentos.

Os postos do circuito Barra/Ondina e Batatinha registraram um aumento de 20% e 6%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2019, enquanto o circuito Campo Grande apresentou uma redução de 4% no total de atendimentos.

Em relação ao ano de 2019, os módulos que apresentaram crescimento no número de atendimentos foram: Morro do Gato (34%), Shopping Barra (28,5%), Farol da Barra (22%) e Adhemar de Barros (15%). As maiores reduções ocorreram nos módulos Politeama (-15%) e Montanha (-12%), respectivamente.

PUBLICIDADE