Publicado em 24/11/2020 às 20h40.

B3 sobe 2,24% e se aproxima de 110 mil pontos

Índice de referênca Ibovespa não alcançava este nível desde fevereiro, antes da pandemia de Covid-19; Petrobrás foi destaque

Redação
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

 

Após nova alta na sessão desta terça-feira (2,24%), a B3 atingiu a máxima cotação desde 21 de fevereiro, antes do aparecimento da pandemia de Covid-19. O índice de referência Ibovepsa foi a 109.786,30 pontos, chegando a encostar nos 110 mil pts (109.956,18 pts) no melhor momento do dia. O volume financeiro alcançou R$ 36,9 bilhões.

Segundo analistas ouvidos pela Reuters Brasil, o avanço na vacina contra a Covid-19 e o início da transição entre governos nos Estados Unidos impulsionaram os mercados brasileiros. Outro fator positivo foi a entrada de estrangeiros na bolsa brasileira – com saldo de R$ 26 bilhões até esta terça.

Nos Estados Unidos, o S&P 500 e o Dow Jones fecharam em máximas históricas. Entre as commodities, o petróleo Brent avançou 3,9%, para US$ 47,86 o barril – melhor cotação desde março.

No Brasil, destaque para os papeis da Petrobras, tanto preferenciais como nominais, que avançaram 4,46% e 5,34%, respectivamente. No mês estas ações sobem 38% e 41%. Na área industrial, a Usiminas fechou em alta de 6,12%, seguida por CSN ON (6%), e GERDAU PN (2,59%). Fonte: Reuters Brasil.