Publicado em 15/10/2020 às 17h46.

Bevap vai implantar indústria sucroenergética na cidade de Barra

Empreendimento, que teve protocolo de intenções firmado com a SDE, fará parte do Polo Agroindustrial do Médio São Francisco

Redação
Foto:Ascom SDE
Foto:Ascom SDE

 

O grupo Bevap Bioenergia vai investir R$ 2 bilhões em uma planta do setor sucroenergético na cidade de Barra. O empreendiemnto, que teve protocolo de intenções firmado com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do estado (SDE), fará parte do Polo Agroindustrial do Médio São Francisco. Somente no plantio da cana-de-açúcar serão aplicados R$ 500 milhões.

A unidade produtiva fará a extração de caldo para industrialização de açúcar cristal, etanol hidratado, etanol anidro, com aproveitamento da biomassa (bagaço da cana) para geração de vapor e energia elétrica. A capacidade de produção será de 4 milhões de toneladas de cana e 1 milhão de toneladas de moagem de milho, na segunda fase do projeto.

Segundo o titular da SDE e vice-governador João Leão, o Polo Agroindustrial vai contribuir para que a Bahia passe a ser autossuficiente na produção de etanol e açúcar . “É uma usina que mói 4,5 milhões de toneladas de cana em Minas Gerais, na região do Rio Paracatu, e agora vai moer aqui na Bahia a mesma quantidade”, afirma.

O Polo Agroindustrial e Bioenergético prevê a implantação de até 15 empreendimentos agrícolas, pecuários e agroindustriais. A primeira usina em implantação, do Grupo Sergio Paranhos Agroindustrial, tem previsão de colher 400 mil toneladas de cana-de-açúcar na primeira safra de etanol, projetada para meados de 2021. O grupo já emprega 500 funcionários em Muquém de São Francisco.

Sérgio Facchini, presidente do Conselho de Administração da Bevap e diretor-presidente da Krasis, a holding do grupo, avalia quue a região tem água farta, com o Rio São Francisco e seus afluentes, e muita terra. “Não podemos deixar a oportunidade passar, então a Bevap não só está vindo como acha fundamental que todas aquelas pessoas que acreditam no Brasil e que acreditam na agroindústria venham para cá”, disse.