Publicado em 03/05/2018 às 20h40.

Brasil e Suíça assinam acordo para coibir evasão fiscal

O acordo ainda será ratificado pelo Congresso e depois regulamentado

Redação
Foto: Reprodução/Agência Brasil
Foto: Reprodução/Agência Brasil

 

Empresários e pessoas físicas que fazem transações no Brasil e na Suíça ganharão mais segurança jurídica e deixarão de pagar Imposto de Renda duas vezes. Isso porque a Receita Federal e o governo da Suíça assinaram um acordo para evitar a dupla tributação e combater a evasão fiscal.

O acordo ainda precisa ser ratificado pelo Congresso e posteriormente ser regulamentado por meio de decreto do presidente da República. O Parlamento suíço também precisará aprovar o texto.

Os dois governos definiram limites e padronizaram as competências tributárias de cada um para eliminar ou minimizar a cobrança de tributos sobre a renda mais de uma vez.

Segundo o secretário da Receita, Jorge Rachid, e o embaixador da Suíça no Brasil, Andrea Semadeni, que assinaram o documento, o acordo fortalecerá as relações comerciais entre os dois países e estimulará os investimentos produtivos.

Segundo o Fisco brasileiro, as empresas suíças investiram US$ 22 bilhões no Brasil em 2016, o que garante a sexta posição entre os países que mais destinam recursos produtivos para a economia brasileira.

O acordo, informou o Fisco, está alinhado com as diretrizes da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e com o Projeto sobre a Erosão da Base Tributária e Transferência de Lucros (Beps), protocolo com recomendações internacionais para evitar o planejamento tributário, quando uma empresa encontra brechas na legislação para pagar menos impostos.