Publicado em 15/04/2021 às 20h20.

Governo prevê déficit primário de R$ 170,47 bilhões em 2022

Receitas primárias, excluídas as transferências constitucionais, ficarão em R$ 1,45 trilhão; despesas somarão R$ 1,62 trilhão

Redação
Foto: Marcello Casal/ Agência Brasil
Foto: Marcello Casal/ Agência Brasil

 

O governo federal terá como meta fiscal no próximo ano um déficit de até R$ 170,47 bilhões em 2020. O valor consta do proejto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o próximo ano, encaminhado nesta quinta-feira (15) pelo Poder Executivo. Neste mesmo documento, o Ministério da Economia estabelece o salário mínimo em R$ 1.147.

O déficit proposto para este ano equivale a 1,9% do PIB e é menor do que o de 2020, estimado em 10% do PIB, por causa dos efeitos da crise provocada pela pandemia de coronavírus; e de 2021, previsto em 3,3% do PIB.
De acordo com a LDO 2022, a receita primária no próximo exercício será de R$ 1,450 trilhão.

As despesas primárias estão estimadas em R$ 1,621 trilhão, sendo R$ 1,524 trilhão de despesas obrigatórias e R$ 96,674 bilhões em despesas discricionárias.

Em coletiva para apresentação da proposta, o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues Junior, declarou que espera a diminuição do déficit com condições de gestão eficiente e a continuação da agenda de reformas.

“O Brasil precisa melhorar o perfil dos gastos”, apontou. “O teto de gastos tem enormes virtudes para decidir o que seria prioritário no Orçamento.”

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.