Publicado em 13/09/2019 às 12h56.

Governo quer atrelar rendimento de poupança à inflação

Mudança está sendo discutida de forma reservada entre o Banco Central e o Ministério da Economia

Redação
José Cruz/Agência Brasil
José Cruz/Agência Brasil

 

O governo estuda modificar a remuneração da caderneta de poupança para ampliar os recursos destinados ao financiamento do setor da habitação, informa reportagem do jornal O Globo.

Segundo a publicação, a ideia seria assegurar aos poupadores pelo menos um rendimento equivalente a 70% da taxa básica de juros (Selic), independentemente do patamar da Selic, e substituir a Taxa Referencial (TR), que atualmente está em zero, pelo índice oficial de inflação (IPCA), segundo uma fonte a par das discussões.

De acordo com O Globo, o assunto está sendo discutido de forma reservada entre o Banco Central (BC) e o Ministério da Economia. A mudança visa proporcionar uma fonte alternativa de recursos para a habitação com a chamada securitização no mercado financeiro.

Os bancos que captam depósitos de poupança e são obrigados a investir boa parte desses recursos em crédito imobiliário poderão vender no mercado as carteiras de crédito lastreadas pelo IPCA. Não há demanda no mercado por ativos atrelados à TR, ao contrário do que ocorre com o IPCA.

Recentemente, a Caixa Econômica lançou uma linha de crédito imobiliário com correção pela inflação.