Publicado em 19/11/2019 às 11h57.

IBGE mantém estimativa de queda de 10,7% na safra de grãos na Bahia

Informações foram sistematizadas e analisadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan)

Redação
Foto: Aiba
Foto: Aiba

 

O 10º Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estimou em cerca de 8,9 milhões de toneladas a produção dos principais grãos na Bahia para 2019. A previsão representa, assim, uma queda é de 10,7% na comparação com a safra anterior. Já em relação à área plantada, o instituto calcula avanço de 0,6%, na comparação anual, registrando uma extensão de cerca de 3,2 milhões de hectares.

As informações foram sistematizadas e analisadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan).

As projeções mantêm a recuperação da produção de mandioca, prevista em 1,8 milhão de toneladas, o que corresponde a um crescimento de 21,6%, em relação à safra passada.

A estimativa para a lavoura da cana-de-açúcar ficou em 4,2 milhões de toneladas, o que indica uma retração de 10,1% em relação à colheita anterior. A safra de cacau, sendo estimada em 120 mil toneladas, mostra queda de 2,3%, na comparação com a anterior.

O algodão teve sua produção calculada em 1,5 milhão de toneladas, representando uma alta de 19,7%, em relação à safra anterior. A área plantada ficou estimada em 332 mil hectares, uma expansão de 24,3% na comparação com a do ano passado.

A estimativa da produção total de café foi reduzida para 168 mil toneladas no ciclo atual. A safra do tipo arábica ficou projetada em 72,4 mil toneladas, o que representa uma queda de 33,5%, em relação à do ano passado, enquanto a do canephora foi estimada em 96 mil toneladas, correspondendo a um recuo de 31,6%, na comparação com 2018.

O feijão teve sua safra revisada para 332 mil toneladas, o que corresponde a uma expansão de 68,8% em relação à anterior. A área plantada estimada totalizou 465 mil hectares. A primeira safra está calculada em 172,8 mil toneladas, numa área de 245 mil hectares. A segunda está projetada em 117,6 mil toneladas, numa área de 220 mil hectares, o que corresponde a uma variação de 357,2% comparativamente à safra anterior.

O LSPA alterou ligeiramente as projeções para a safra de milho em 2019, estimando uma produção total em torno de 1,6 milhão de toneladas, em 593,3 mil hectares plantados. A primeira safra do cereal ficou 30,5% abaixo daquela observada em 2018, alcançando 1,3 milhão de toneladas. Por sua vez, a segunda safra está projetada em 276 mil toneladas, sobre 230 mil hectares plantados.

Com a colheita já concluída, a produção da soja ficou estimada em 5,2 milhões de toneladas, em área plantada de 1,6 milhão de hectares, o que representa uma queda de 15,8%, em comparação ao volume produzido na safra anterior.

PUBLICIDADE