Publicado em 08/09/2020 às 16h56.

Petroleira francesa renuncia exploração de petróleo em bacia na foz do Amazonas

A companhia Total tem enfrentado dificuldades com o licenciamento ambiental no local

Redação
Foto: Reprodução/Total Offshore
Foto: Reprodução/Total Offshore

 

A Total, petroleira francesa, anunciou na segunda-feira (7) que renunciou ao direito de operar as cinco concessões de exploração que detém na Bacia do Foz do Amazonas. A companhia tem enfrentado dificuldades com o licenciamento ambiental no local.

“Notificamos em 19 de agosto a nossos sócios sobre a nossa renúncia ao papel de operador de cinco blocos de exploração na Foz do Amazonas”, afirmou a empresa em 1 comunicado, que não explica os motivos da decisão.

A empresa, que se associou à britânica BP e a Petrobras em 2013 para adquirir os blocos, possui 40% dos ativos e é responsável pelas operações de cinco blocos: FZA-M-57, FZA-M-86, FZAM-88, FZA-M-125 e FZA-M-127.

A petroleira pagou R$ 250 milhões na 11ª rodada de concessões da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

O prazo para nomear o novo operador é de seis meses. Até lá, a Total segue respondendo pela operação dos cinco blocos.

“Sobre esta decisão, que abre 1 período de 6 meses durante o qual será designado um novo operador e ao qual serão transferidas as atividades. Durante este período, a Total tem a obrigação de seguir com os processos administrativos em nome de seus sócios Petrobras e BP”, completa o comunicado.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.