Publicado em 31/05/2017 às 14h40.

PIB fica positivo e marca o fim da recessão, diz ministro

Em seminário da Fundação Getúlio Vargas nesta quarta-feira, Dyogo Oliveira, titular do Ministério do Planejamento, comemora desempenho do Produto Interno Bruto do Brasil do primeiro trimestre de 2017

Redação
Foto: Reprodução/DCI
Foto: Reprodução/DCI

 

O Produto Interno Bruto do Brasil (PIB) – a soma de todas as riquezas produzidas no país – no primeiro trimestre de 2017 será positivo, revelou nesta quarta-feira (31) o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, que participou de um seminário na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro. A informação vai ser divulgada, em detalhes e oficialmente, nesta quinta (1º), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O dado representa, na avaliação do gestor, o fim da recessão.

De acordo com o ministro, o crescimento deve ser um pouco menor que o medido pelo Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-BR), por “divergências de metologia”. Divulgado no último dia 15, o indicador apontou para um crescimento de 1,12% no primeiro trimestre de 2017, na comparação com o quarto trimestre de 2016.

Durante o seminário, o ministro defendeu a reforma previdenciária, como forma de equilibrar as finanças do governo. “A evolução das despesas com previdência do país são insustentáveis, e não são insustentáveis apenas do ponto de vista da previdência, são insustentáveis do ponto de vista das outras despesas do governo federal. A previdência está ocupando todo o espaço disponível e vai avançar cada vez mais.”, enfatizou.

Oliveira também elencou algumas das medidas que o governo vem adotando para controlar os custos de compras públicas, melhorar a governança das estatais e reduzir o custeio administrativo.

Ele minimizou o impacto da crise política no cenário fiscal do país. “O que vejo é que as medidas continuam avançando no Congresso, então, não vejo isto afetando a meta fiscal ou as nossas projeções fiscais.”

Com informações da Agência Brasil.