Publicado em 09/09/2020 às 06h14.

Sob protesto de bancos, Oi aprova novo plano de recuperação

Proposta prevê venda de ao menos R$ 38 bilhões em ativos e foco em banda larga

Redação
Foto: Divulgação/Oi
Foto: Divulgação/Oi

 

Mesmo em sob protesto dos maiores bancos do mundo, a operadora Oi aprovou um novo plano para resgate da empresa que, tentando sobreviver a dívidas acumuladas de R$ 64 bilhões, declarou recuperação judicial em 2016.

De acordo com informações da Folha de S.Paulo, a nova proposta prevê a venda de diversas operações, avaliadas em ao menos R$ 38,7 bilhões para ajudar a equacionar as finanças da companhia e garantir recursos para investimentos. Ao fim do processo, a Oi manteria atuação apenas em telefonia fixa e banda larga.

Contudo, bancos reclamaram do desconto de 60% no valor de seus créditos e tentaram adiar a decisão na Justiça e durante a assembleia geral de credores realizada na terça-feira (8). Foram vencidos pelos sócios da empresa e pelos pequenos credores.

 

No plano interior, Itaú, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal teriam seus créditos parcelados em nove anos, a partir de 2022, quando a Oi começaria a pagar os juros. No atual, podem receber assim que as operações móveis forem vendidas, mas com esse deságio de 60% sobre o valor total.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.