Publicado em 11/01/2016 às 12h27.

Ator Ricardo Castro vai entrar com ação contra o Red River Café

Estreia do novo espetáculo do ator, Sexo, Drogas&Axé Music, foi cancelada na última quarta (6) devido à falta de pagamento da conta de luz do espaço pelo proprietário Alexandre Paupério

Juliana Dias

“Um absurdo sem precedentes”. Esta é apenas uma das frases que demonstram o grau de indignação do ator Ricardo Castro para resumir a noite da última quarta-feira (6), quando o seu mais novo espetáculo “Sexo, Drogas & Axé Music” estrearia no bar e restaurante Red River Café e foi cancelada devido à falta de pagamento da conta de luz do espaço pelo proprietário Alexandre Paupério, ex-secretário de Gestão do prefeito ACM Neto (DEM).

Segundo o ator, a irresponsabilidade do gestor do espaço gerou uma série de contratempos para ele e para as mais de 100 pessoas que se dirigiram ao Largo da Mariquita para prestigiar a estreia do espetáculo. O proprietário do Red River Café havia alegado falta de energia elétrica por causa das obras no bairro do Rio Vermelho e disse que a situação seria normalizada até às 15h daquele mesmo dia. Após o prazo, dois funcionários da Coelba estiveram no local e foi, por meio deles, que Ricardo Castro e sua produtora Cinthia Santiago souberam que a verdadeira razão da interrupção do fornecimento de energia era a falta de pagamento de contas.

De acordo com Ricardo, Alexandre Paupério negou o débito e disse que a qualquer momento a energia elétrica retornaria, o que ocorreu por volta das 20h35 – 25 minutos antes do início da apresentação. “Em mais de vinte anos de trabalho nesta cidade, nunca tinha ouvido falar de um absurdo como esse. Não pagar a conta de luz ou mesmo não providenciar uma maneira para resolver o problema em tempo é demonstrar o total descompromisso e desrespeito com o trabalho alheio”, diz Ricardo. A apresentação da peça no local foi cancelada definitivamente e o artista busca um novo local para realizar a estreia e a temporada.

Ação conjunta – O ator contou à reportagem do bahia.ba que, depois de nota divulgada por ele em seu perfil pessoal no Facebook, pessoas que trabalham com arte na capital baiana começaram a relatar outros casos de irresponsabilidade da casa e do proprietário com a classe artística. Por isso, o artista não só pretende abrir uma ação de perdas e danos contra o Red River Café, como espera que o processo possa ser de forma conjunta. “Só depois do ocorrido é que eu soube que outras pessoas também haviam sido lesadas pela má administração do espaço. Eu convoco todos os artistas que foram prejudicados para movermos uma ação conjunta, afinal de conta, somos uma classe”, diz Ricardo.

O ator, reconhecido pelo espetáculo R$ 1,99, que já foi visto por mais de 600 mil pessoas pelo Brasil e em Buenos Aires, e rendeu ao seu criador indicação ao prêmio de melhor ator, comenta também que a situação não pode ser vista como uma regra e, sim, como uma exceção. “Precismos denunciar, divulgar, buscar, através da Justiça, a solução para esses desrespeitos. Eu ouvi que o ocorrido é algo que ‘só se vê na Bahia’. Na Bahia, nós vemos milhões de coisas boas acontecendo. Um espetáculo ser cancelado pela irresponsabilidade do gestor do espaço não pode ser a regra, tem que ser a exceção e, para isso, precisamos denunciar”, destaca Ricardo Castro, em referência ao fato de outros casos de desagrado do Red River Café terem surgido após o cancelamento de seu espetáculo, porém, não haviam sido divulgados pelos artistas lesados.

PUBLICIDADE