Publicado em 05/05/2017 às 10h30.

‘Djavan atingiu quase a perfeição em Sina’, diz Margareth

A cantora, que é uma grande referência da música baiana e nacional, deu sua dica de disco aos leitores do bahia.ba

Redação
Foto: James Martins / bahia.ba
Foto: James Martins / bahia.ba

 

“Naquela gravação de ‘Sina’ Djavan atingiu quase a perfeição. Ou até a perfeição mesmo, podemos dizer. É maravilhoso demais!”, declarou Margareth Menezes ao dar sua dica de álbum aos leitores da coluna #QuemIndica do bahia.ba.

A cantora relembra o impacto que sentiu ao ouvir o disco “Luz”, de 1982, que contém inúmeros clássicos da carreira do compositor alagoano, como “Açaí”, “Pétala”, “Capim” e “Samurai”, com participação especial de ninguém menos que Stevie Wonder. “Foi um divisor de águas, todos os elementos da música negra e de outras referências estão muito bem combinados”, diz.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Gravado nos Estados Unidos pela Sony Music, e produzido por Ronnie Foster, “Luz” é considerado por muitos críticos e colegas o melhor álbum de Djavan, sendo aclamado como um marco na música popular brasileira. Além disso, é o “álbum que transformou Djavan em superstar com vendas expressivas, sucessão de hits e uso primoroso dos recursos tecnológicos da época”, na avaliação do jornalista Mauro Ferreira.

PUBLICIDADE