Publicado em 06/03/2016 às 13h40.

Lázaro Ramos estreia nova temporada do programa Espelho

A primeira entrevista é com a jornalista Marília Gabriela. O programa vai ao ar nesta segunda, às 21h30, no Canal Brasil

Redação
Lázaro Ramos. Foto: Divulgação
Lázaro Ramos. Foto: Divulgação

Ele se vira nos 30 para colocar em pauta temas do interesse coletivo. Faz isso como ator, diretor, produtor e apresentador. O baiano Lázaro Ramos, cria do Bando de Teatro Olodum, estreia segunda-feira (7), às 21h30, no Canal Brasil, a 11ª temporada do seu programa Espelho.

A primeira entrevista desta edição é com a jornalista e apresentadora paulista Marília Gabriela, 67 anos. No bate-papo, Lázaro conversa com ela sobre temas diversos e polêmicos, entre eles questões enfrentadas pelas mulheres e a “caretice” do Brasil. Na temporada, o público pode aguardar momentos imperdíveis com o rapper Emicida, a cineasta Anna Muylaert e os atores Selton Mello e Bruno Mazzeo. Depois de 11 anos, o ator deixa a direção do programa e passa o bastão para Renato de Paula e Elísio Lopes Junior.

Além de voltar com tudo à frente do programa Espelho, Lázaro termina de gravar episódios da série Mr. Brau, que tem nova temporada prevista para abril; continua em cartaz no teatro como o ativista americano Martin  Luther King (1929- 1968); e está prestes a estrear no filme Mundo Cão, dia 17.

Em entrevista ao jornal Correio, Lázaro falou sobre as novidades que a 11ª edição do programa traz. “A cada temporada a gente tenta se reinventar. Essa técnica de eu operar a câmera, por exemplo, começou ano passado e deu muito certo. Nessa temporada, temos uma campanha: a mulher nos postos de comando e formação de opinião. Durante cinco programas, eu não apresento, quem é dona do Espelho é a (jornalista) Flávia Oliveira, para trazer à tona essa discussão”, disse.

Questionado sobre o por quê de o programa abranger novos temas, além da negritude, que sempre foi o norte das entrevistas, Lázaro explica que é importante entender que o programa segue os caminhos que a questão negra tem seguido ao longo dos anos.

“Os valores que a gente vai adquirindo no Espelho, a gente não exclui, só vai agregando. A proposta continua sendo dar visibilidade ao pensamento negro e falar na televisão de assuntos pouco falados. Mas a questão negra se movimenta e o Espelho se propõe a caminhar junto. As mulheres negras, as blogueiras negras, o movimento feminista negro têm papel fundamental na sociedade”, salienta.

PUBLICIDADE