Publicado em 11/06/2020 às 13h40.

Museus funcionam de forma virtual durante a pandemia

Na Bahia, o Museu Geológico da Bahia (MGB), lançou em maio um Tour Virtual para os amantes de museus conhecerem um dos maiores acervos do Estado

Bianca Andrade
Foto: Museu da Imagem e do Som/ Governo de São Paulo
Foto: Museu da Imagem e do Som/ Governo de São Paulo

 

A reinvenção durante a pandemia causada pelo novo coronavírus chegou aos museus nacionais. Para evitar o ostracismo e continuar em contato com o público, os museus migraram suas obras para o espaço virtual.

Nesta quinta-feira (11), o Museu de Arte Contemporânea do Dragão do Mar (MAC) inicia uma mostraa de vídeos que compõem o acervo do Museu, a partir das 15h no canal oficial do Dragão do Mar no YouTube.

Na Bahia, o Museu Geológico da Bahia (MGB), lançou em maio um Tour Virtual para os amantes de museus conhecerem um dos maiores acervos do Estado, com mais de 20 mil peças, composto por pedras preciosas, fósseis arqueológicos, corpos celestiais, réplicas gigantes de animais pré-históricos.

O Museu de Arte Moderna (MAM) no Rio de Janeiro tem feito oficinas para crianças e adultos com materiais que podem ser encontrados em casa e convida artistas a compartilharem seus processos de desenvolvimento por meio de lives.

Já o Museu da Imagem e do Som (MIS), de São Paulo, disponibilizou acervo digital e uma programação especial para trazer conteúdo online aos fãs, o MISemCASA.

Desde abril, o Instituto Moreira Salles (IMS) realiza o projeto IMS Convida com o objetivo de reunir orbas inéditas dos cineastas Karim Aïnouz e Grace Passô. Com espaços físicos em Poços de Caldas, São Paulo e Rio de Janeiro, o projeto possibilita que pessoas de outras regiões entrem em contato com a arte.