Publicado em 06/02/2017 às 12h11.

Compositor Carlos Rennó indica ‘o livro mais impactante do século’

Autor de diversos clássicos da música brasileira e ativista das causas ambientais, o letrista recomenda um livro que considera fundamental

James Martins
Foto: Acervo pessoal.
Foto: Acervo pessoal.

 

O letrista Carlos Rennó não é apenas autor de diversos clássicos da música popular brasileira, como “Todas Elas Juntas Num Só Ser” (com Lenine), “Bem Bom” (com Arrigo Barnabé) e “Escrito nas Estrelas” (com Arnaldo Black). Ele é também o principal versionista em atividade no país, responsável por memoráveis letras em português para canções como “Let’s do It (Façamos)”, de Cole Porter, gravada por Chico Buarque e Elza Soares.

Aliás, sua parceria com Cole Porter rendeu um disco inteiro, “Canções, Versões”, com participações de Rita Lee, Cássia Eller, Ed Motta, entre outros, e também um livro homônimo. A publicação, além das letras e partituras, traz textos analíticos sobre a grandeza da obra do compositor norte-americano, assinados pelo próprio Rennó, pelo poeta Augusto de Campos, além de um depoimento de Caetano Veloso.

Com o projeto de lançar no segundo semestre um livro (e um disco) com sua obra lítero-musical, Rennó deu sua dica de leitura aos seguidores da coluna #QuemIndica, do bahia.ba.

Muito ligado às causas ambientais, o autor de “Reis do Agronegócio” e “Demarcação Já!” indica “A Queda do Céu” (Cia. das Letras – 2015), escrito pelo xamã yanomami Davi Kopenawa e pelo etnólogo Bruce Albert. Trata-se, entre outras coisas, de um manifesto contra a destruição da Floresta Amazônica. “O livro mais impactante deste século”, assegura Rennó. Confira a dica completa no vídeo abaixo:

PUBLICIDADE