Publicado em 19/12/2016 às 10h31.

Produtor cultural Roberto Sant’Ana fala sobre seu filme favorito

Com um currículo vasto, que vai desde o lançamento de Fafá de Belém e da Axé Music até discos dos poetas Carlos Drummond e Vinicius de Moraes, Roberto indica clássico

Redação
Foto: Amana Dultra / Divulgação
Foto: Amana Dultra / Divulgação

 

A lista dos feitos do produtor cultural Roberto Sant’Ana é longa e variada: descobriu Fafá de Belém e produziu discos de Carlos Drummond de Andrade, Vinicius de Moraes e Mário Quintana. Lançou a Axé Music, com o álbum “Magia”, de Luiz Caldas, e “Mensageiro da Alegria”, de Gerônimo. Natural de Irará, apresentou Caetano Veloso a Gilberto Gil, no início dos anos 1960, na Rua Chile. Criou o Quinteto Violado. Lançou Jorge Mautner como cantor. Criou as “Domingueiras”. Produziu o hoje lendário espetáculo pré-tropicalista “Nós, Por Exemplo”, lançando o Teatro Vila Velha etc etc etc.

Enfim, é da altura de tanta experiência que Roberto fala sobre (e indica o) seu filme preferido: “Deus e o Diabo na Terra do Sol” (1964), de Glauber Rocha. Diz Roberto, com exclusividade para a coluna “Quem Indica“, do bahia.ba:

“Assisti esse filme sendo criado em máquina Burroughs na casa de João Ubaldo Ribeiro, na Rua 8 de Dezembro [Graça]. Ubaldo ainda era casado com Bilô. Depois, estava perto do Rogério Duarte quando ele pesquisava para fazer aquele poster sensacional para divulgação do filme. Por fim, estive presente no lançamento do referido filme aqui em Salvador, no Cine Guarany (hoje Glauber Rocha). Junto comigo, na mesma fila, estavam o Othon Bastos – o Corisco do filme –, João Augusto Azevedo – diretor do Teatro Vila Velha e nosso Mestre. Na fileira da frente estava Sônia dos Humildes (saudades), a Dadá do filme. Lembro que chorava sem parar, com muita emoção. Sentia que aquele filme era a Bahia e o Vila Velha. Foi uma noite maravilhosa, culminando com um belo jantar reunindo toda essa turma no tradicional Restaurante Cacique que ficava ao lado do Guarany. Gosto de tudo nesse filme até hoje”.

O brilhante cartaz de Rogério Duarte (foto: Divulgação).
O brilhante cartaz de Rogério Duarte (foto: Divulgação).

 

Veja o trailer original do clássico de Glauber:

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.