Publicado em 09/08/2020 às 12h02.

Redes sociais viraram campo de batalha, diz William Bonner

Jornalista já foi assíduo em plataformas como Instagram e Twitter, onde era visto como o "tiozão do Jornal Nacional"

Redação
Foto: Reprodução / TV Globo
Foto: Reprodução / TV Globo

 

O jornalista William Bonner, apresentador do Jornal Nacional, afirmou não não ver mais graça nas redes sociais, onde construiu uma imagem bem-humorada.

Em entrevista ao programa Altas Horas no sábado (8), ele caracterizou o clima em sites como o Twitter como “um campo de batalha”.

“Quando eu cheguei, em 2008 ou 2009, aquilo era uma fonte de diversão, eu me divertia muito ali. Tem gente que fica intelectualizando o que eu fiz, diz que eu criei um personagem de ‘tiozão’. Eu não fiz nada disso. Eu entrei lá e comecei a trocar mensagem com as pessoas. […] Eu sou um tiozão! Eu tenho 57 anos hoje, tinha 47 na época. Estava lidando com jovens de 16, 17 anos, às vezes até menos. Eles achavam um barato o cara do ‘Jornal Nacional’ fazendo graça. […] Mas agora a graça [das redes sociais] acabou. Aquilo é um campo de batalha agora”, definiu Bonner, segundo o portal UOL.

Sobre a disseminação de “fake news”, o jornalista disse que “fofocar e inventar história é da natureza humana”, mas que a internet “municiou o fofoqueiro” ao aumentar o seu alcance. “Ele não vai dizer ao pé do ouvido do vizinho, ele vai publicar alguma coisa e outros tantos vão reproduzir isso”, declarou o âncora do JN.