Publicado em 13/12/2019 às 16h37.

Ufba exibe última Sessão Aberta de Cinema neste sábado (14)

De modo complementar, o projeto visa promover o convívio entre autistas, portadores de outras limitações e pessoas consideradas sadias

Redação
Imagem: Divulgação/ UFBA
Imagem: Divulgação/ UFBA

 

A Sessão Aberta de Cinema da Universidade Federal da Bahia (Ufba) de dezembro não acontecerá na última semana do mês, como de costume, por causa das festas de fim de ano. A sessão, com o filme “O Grinch”, será exibida no próximo sábado (14), a partir das 10h, na Saladearte Cinema da Ufba, que fica no Vale do Canela, ao lado da Faculdade de Educação.

O filme escolhido é do ano de 2018 e foi dirigida por Yarrow Cheney e Scott Mosier. A classificação indicativa do filme é livre. Com duração de 86 minutos, a animação é baseada em uma adaptação do clássico ‘Um conto de Natal’, de Charles Dickens, escrita pelo americano Dr. Seuss.

“O Grinch” é um bichinho verde, peludo e mau humorado que odeia o Natal. Ele vive em uma montanha perto de Quemlândia (Cidade dos Quem). Porém, a prefeita de Quemlândia decidiu fazer uma festa de Natal três vezes maior do que nos anos anteriores. Grinch então resolve estragar a festa dos vizinhos fingindo ser Papai Noel e roubando os presentes e as decorações da cidade inteira.

A Sessão Aberta de Cinema é uma atividade mensal promovida pela Pró-Reitoria de Extensão Universitária (Proext/UFBA) e Faculdade de Medicina da Bahia (Prof. Lauro Porto) que exibe filmes para o público infanto-juvenil portador de necessidades sensoriais especiais, preferencialmente animações (desenhos animados) de curta ou longa-metragem.

A sessão de cinema permite que o público circule pela sala, entrando e saindo livremente. Com luzes parcialmente acesas e som abaixo do habitual, cria-se um ambiente confortável para todos, inclusive as crianças que possuem necessidades especiais.
O objetivo é acolher no ambiente do cinema quem habitualmente não frequenta as salas comerciais de cinema, em especial crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista, por não se adaptarem às condições das projeções e por constrangimento sofrido por seus familiares. De modo complementar, o projeto visa promover o convívio entre autistas, portadores de outras limitações e pessoas consideradas sadias.

 

PUBLICIDADE