Publicado em 16/01/2022 às 12h00.

Djokovic sofre derrota na Justiça, é deportado e está fora do Australian Open

Tenista sérvio ainda terá que arcar com custos do processo por tentar ficar na Austrália sem apresentar cartão de vacina contra a Covid-19

Redação
Foto: AELTC/Eddie Keoghn/Fotos Públicas
Foto: AELTC/Eddie Keoghn/Fotos Públicas

 

O tenista Novak Djokovic foi deportado da Austrália e está fora do Australian Open. O sérvio foi derrotado na Justiça australiana, que rejeitou recurso de sua defesa e decidiu manter a suspensão do visto de entrada no país.

O tenista entrou na Austrália no dia 5 de janeiro sem se vacinar, mesmo sem apresentar o cartão de vacinação contra a Coivd-19. Ele mostrou um documento médico que o isentava da apresentação e alegou que testou positivo para Covid-19 em 16 de dezembro.

Ao desembarcar no aeroporto, ele foi parado pela polícia alfandegária por não apresentar todos os documentos necessários para justificar a entrada no território australiano. Depois de passar a noite no aeroporto, ele foi confinado em um hotel. Teve seu visto cancelado inicialmente, por risco à saúde pública, mas ingressou na Justiça e ganhou o direito de ter acesso ao país.

Na última sexta (14), o ministro da Imigração, Cidadania, Serviços a Imigrantes e Relações Multiculturais da Austrália, Alex Hawke, usou o seu poder pessoal para cancelar o visto do tenista. Djokovic  recorreu na Justiça.

O recurso foi rejeitado neste domingo (16). Após a audiência, o atual campeão do torneio foi deportado. Ele pegou um voo no Aeroporto de Melbourne com destino a Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

O tenista ainda terá de arcar com os custos do processo, de acordo com o juiz James Allsop. A decisão foi divulgada no começo da noite na Austrália, depois de quase nove horas de julgamento. Com informações do UOL.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.