Publicado em 23/12/2015 às 11h40.

Escudero se despede em carta e Vitória admite: ‘não permanecerá’

Agente do jogador, José Luiz Galante, revelou a negociação com o Puebla, do México, e chamou o clube de "lento"

Redação
Foto: Divulgação/ EC Vitória
Foto: Divulgação/ EC Vitória

 

Após a novela sobre a renovação com o meia argentino Damián Escudero e a falsa promessa de “presente de Natal”, a diretoria do Vitória admitiu na manhã desta quarta-feira (23), em seu site oficial, que o ídolo da torcida não estará no elenco em 2016. No comunicado, o clube diz não ter “medido esforços” para permanecer com o atleta, responsável por 13 gol em 43 partidas pelo Leão este ano, o que é desmentido pelo agente do jogador, José Luiz Galante, que revelou a negociação com o Puebla, do México, e chamou a agremiação baiana de “lenta”.

Já Escudero, em carta divulgada pelo Vitória, diz que sua “intenção era permanecer”, mas o entrave foi uma dívida ainda em função da primeira renovação, em 2013. Logo após confirmar o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro, o Rubro-Negro já tinha perdido o motor do meio-campo, Rhayner, para a Ponte Preta de Campinas.

Confira carta enviada ao clube por Escudero:

“É um momento difícil pra mim dizer que não estarei no Vitória no próximo ano, até pelo que vivi nas últimas três temporadas com a camisa do Leão, que vai seguir sempre comigo. Foram mais de três semanas numa negociação direta entre meu empresário Dário Bombini e o Vitória, mas infelizmente não se chegou a tão esperada renovação. De fato, o principal entrave foi essa dívida do clube referente a minha renovação no final de 2013. Gostaria de esclarecer que a dívida nunca foi de R$ 500 mil, como muito se publicou. Se fosse esse valor, seria algo negociável, até por que minha intenção era permanecer no Vitória.

Com o não acerto com o Vitória, recebi uma proposta muito boa para atuar no Puebla, do México, pelos próximos dois anos. Uma oferta muito superior a oferecida pelo Vitória, que propôs um contrato de um ano. Pesou o futuro da minha família. Diante disso, adianto que está praticamente acertada minha transferência para o Puebla.

Se confirmado, será uma nova experiência em minha vida. Lógico que vou sentir muita falta da nação rubro-negra. Nunca tive uma relação tão intensa com uma torcida como aconteceu no Vitória. Os apelidos de Escumito e EscuDeus só reforçam o que vivi nesse clube, que está merecidamente de volta à elite do futebol brasileiro. Fico feliz por ter sido importante nesse retorno, coroado diante de uma Fonte Nova lotada. Inesquecível, como todos os outros 99 jogos que fiz com esse manto.

Também não poderia deixar de agradecer a todos os funcionários do clube. Todos, sem exceção. O alô especial ao pessoal do departamento médico e fisioterapeutas que fizeram um grande trabalho para que eu pudesse atuar mesmo quando não tinha condições. Enfim, o Vitória ganhou um torcedor argentino. Obrigado, Leão!”

PUBLICIDADE