Publicado em 22/09/2020 às 18h40.

Pandemia adia Corrida de São Silvestre para julho de 2021

Segundo comitê organizador do evento, mudança tem o objetivo de garantir segurança dos inscritos, colaboradores, fornecedores e público

Agência Brasil
31/12/2015 – São Paulo, SP – Brasil - Stanley Biwott, do Quênia venceu a prova masculina da Corrida de São Silvestre. (Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas)
31/12/2015 – São Paulo, SP – Brasil – Stanley Biwott, do Quênia venceu a prova masculina da Corrida de São Silvestre. (Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas)

Por Lincoln Chaves

A edição 2020 da Corrida Internacional de São Silvestre foi adiada para 11 de julho de 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Segundo nota do comitê organizador do evento, tradicionalmente disputado no último dia do ano nas ruas da cidade de São Paulo, a mudança tem o objetivo de garantir “maior segurança dos inscritos, colaboradores, fornecedores e público em geral”.

“A decisão pela transferência leva em consideração a instabilidade do cenário atual, onde os decretos de quarentena estão sendo postergados, não havendo ainda uma definição de retorno das corridas de rua deste porte até o mês de dezembro”, completa a nota. De acordo com a organização, a medida foi tomada em entendimento com a Secretaria Municipal da Casa Civil da capital paulista.

Ou seja, a São Silvestre terá duas edições em 2021, a 96ª, que será disputada no meio do ano, e a 97ª, confirmada para 31 de dezembro. A prova é disputada desde 1925 e marca o término da temporada esportiva no Brasil. Em 2019, o evento reuniu cerca de 35 mil pessoas (entre atletas amadores e profissionais), que encararam os 15 quilômetros da prova.

No ano passado, a vitória do pelotão de elite masculino foi do queniano Kibiwott Kandie, com uma ultrapassagem, nos últimos segundos, sobre o ugandense Jacob Kiplimo. No feminino, a queniana Brigid Kosgei confirmou o favoritismo e levou a melhor, sendo a primeira a cruzar a linha de chegada, na Avenida Paulista. edição 2020 da Corrida Internacional de São Silvestre foi adiada para 11 de julho de 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Segundo nota do comitê organizador do evento, tradicionalmente disputado no último dia do ano nas ruas da cidade de São Paulo, a mudança tem o objetivo de garantir “maior segurança dos inscritos, colaboradores, fornecedores e público em geral”.

“A decisão pela transferência leva em consideração a instabilidade do cenário atual, onde os decretos de quarentena estão sendo postergados, não havendo ainda uma definição de retorno das corridas de rua deste porte até o mês de dezembro”, completa a nota. De acordo com a organização, a medida foi tomada em entendimento com a Secretaria Municipal da Casa Civil da capital paulista.

Ou seja, a São Silvestre terá duas edições em 2021, a 96ª, que será disputada no meio do ano, e a 97ª, confirmada para 31 de dezembro. A prova é disputada desde 1925 e marca o término da temporada esportiva no Brasil. Em 2019, o evento reuniu cerca de 35 mil pessoas (entre atletas amadores e profissionais), que encararam os 15 quilômetros da prova.

No ano passado, a vitória do pelotão de elite masculino foi do queniano Kibiwott Kandie, com uma ultrapassagem, nos últimos segundos, sobre o ugandense Jacob Kiplimo. No feminino, a queniana Brigid Kosgei confirmou o favoritismo e levou a melhor, sendo a primeira a cruzar a linha de chegada, na Avenida Paulista.