Publicado em 17/11/2015 às 08h34.

Vitória, um clube desprovido de liberdade

Conselheiros rejeitam proposta de estatuto que defendia democracia no clube

João Brandão
(Foto: Reprodução)
Mesa diretora do Conselho Deliberativo (Foto: Reprodução)

 

Para alguns, a subida do Vitória para Série A é questão de tempo. De fato, é só o rubro-negro somar mais um ponto nos dois jogos que restam para garantir a passagem para a primeira divisão. Dentro de campo é só flores. Fora dele, apenas espinhos. Na noite da última segunda-feira (16), aconteceu a reunião do Conselho Deliberativo do clube, no Barradão, no qual foi apresentado o projeto de mudança estatutária para eleição direta. Uma pauta importante para o torcedor, mas que a imprensa não teve acesso.

A proposta de novo estatuto foi veemente rejeitada pela maioria dos conselheiros presentes. O desejo do torcedor leonino de ter a liberdade de poder votar em quem quisesse ficou mais distante – sequer foi debatido. Em um vídeo que circula nas redes sociais, o conselheiro Cláudio Paixão aparece bradando contra a “ditadura” no Leão da Barra. Em alguns momentos, Cláudio foi vaiado e xingado por alguns membros do conselho. “A imagem desse conselho é a pior possível. Conclamo que no nosso próximo jogo, no sábado, cada um de nós vá com a camisa de conselheiro no meio da torcida”, desafiou ele. Os xingamentos continuaram ao decorrer do vídeo.

O ex-presidente do Vitória, Alexi Portela, em entrevista ao bahia.ba, disse que nem leu direito a proposta do novo estatuto, mas mesmo assim se posicionou contra o projeto. “Entregaram para a gente no sábado a tarde. Eu estava fora, assistindo o jogo do Brasil. Nem li direito”, justificou. Alexi ainda disse que é a favor da democracia, mas precisa criar um novo plano de contribuintes para se habilitar a votar no presidente. O programa de sócios “Sou Mais Vitória” não é suficiente para o ex-dirigente do rubro-negro.

Para Cláudio, essa proposta de Alexi “é um golpe”. “Atacaram o projeto do estatuto. Alexi criticou a proposta. Para ele, a eleição direta não é desejável. Chamou de quem quer a democracia, de aventureiro. Ele quer suprimir o direito do sócio. A proposta dele apresenta um golpe. É jogar no lixo o direito do sócio. Isso é golpe. Sabe-se lá com que regra ele quer criar esse novo plano. É autoritarismo absurdo. Querem a manutenção do poder”, desabafou o auditor fiscal. Segundo Cláudio, Alexi, durante o discurso, disse que “ninguém quis assumir essa merda”, disse, se referindo ao Vitória, quando estava na Série C. Entretanto, Alexi negou o uso do palavrão.

Apesar do conselho recusar a proposta, um novo projeto será apresentado na próxima reunião, no dia 27 de novembro. Já no dia 19 de dezembro, será apresentado esse novo projeto para os sócios, durante Assembleia Geral Extraordinária, definida pelo presidente do Conselho Deliberativo do clube, José Rocha, na última segunda (16).

PUBLICIDADE