Publicado em 06/09/2019 às 11h19.

Em ato com Wagner, candidatas defendem chapa composta por mulheres para presidência do PT

“Força da renovação e da capacidade de construir uma unidade na diversidade” , disse o senador

Redação
Foto: Jonas Souza
Foto: Jonas Souza

 

As candidatas à presidência estadual ao Partido dos trabalhadores (PT), Elen Coutinho, da corrente Avante, e Lucinha do MST, ex-secretária de Mulheres do Estado e da Esquerda Popular e Socialista (EPS) promoveram um ato na noite desta quinta-feira (6) para anunciar que só haverá acordo de formação para chapa única na disputa pelo diretório estadual do partido, se esta for liderada por uma mulher.

O senador Jaques Wagner (PT) participou do ato e deixou aberta a possibilidade de composição. Em seu discurso, reiterou o apoio à candidatura de seu assessor, Eden Valadares, mas elogiou a “força da renovação e da capacidade de construir uma unidade na diversidade” de Elen e Lucinha. “Qual o nosso ponto de vista? A mudança na forma de gestão do PT, esse é o compromisso maior. Eu não acredito em quem prega uma coisa para fora e não cumpre para dentro. A transformação começa por nós mesmos. Se a gente não

joga o jogo sobre a mesa, como a gente quer pregar que a política maior, ampla, do Brasil, seja jogada de outro jeito?”, disse o senador.
Para definir o acordo pela unidade. Pelas novas regras de eleição interna do PT, os mandatos de direção do partido foram ampliados de dois para quatro anos. É possível, todavia, a divisão deste período entre duas presidências. Para Lucinha, “Só existe unidade de verdade se tiver a presença de uma mulher nesse processo. Se vai haver um rodízio dentro dos quatro anos, tem que haver a participação de uma mulher”, explica Lucinha.

Elen coutinho defendeu que, “A política da unidade é fundamental. Temos que sair desse PED com o PT fortalecido, afirmar uma nova forma de gerir coletivamente o PT, o compromisso com a nossa base partidária, reconstruir as relações de confiança e a democracia interna”, defende Elen.

Participaram do evento os deputados federais Jorge Solla e Valmir Assunção, o deputado estadual Marcelino Galo, a Secretária de Promoção da Igualdade Racial Fabya Reis e o vereador da capital Suíca. O ato contou ainda com a presença de representações da luta pela reforma agrária e agricultura familiar, do movimento estudantil, sindicatos, movimentos feministas, negros e LGBTs.

PUBLICIDADE