Publicado em 10/10/2019 às 08h22.

Secretária assina chamamentos públicos para construção de novas unidades de acolhimento

Espaços são voltados a crianças com medidas protetivas e adultos com deficiência

Redação
Foto: Valter Pontes/Secom
Foto: Valter Pontes/Secom

 

Da abertura da 12ª Conferência Municipal de Assistência Social, nesta quarta-feira (9), a secretária de Promoção Social e Combate à Pobreza, Ana Paula Matos, assinou dois chamamentos públicos visando ampliar as vagas de acolhimentos para jovens, adultos e crianças na capital baiana.

O primeiro prevê a construção de Residências Inclusivas para acolher adultos com deficiência, em situação de dependência. Serão três residências, com usuários entre 18 e 59 anos, prioritariamente beneficiários do Benefício de Prestação Continuada (BPC), que estão com seus vínculos fragilizados e/ou rompidos. O segundo firma convênios com Organizações da Sociedade Civil (OSC) para acolhimentos provisórios a crianças e adolescentes até 21 anos, que cumprem medida protetiva.

A Residência Inclusiva para jovens e adultos com deficiência, que não disponham de condições de auto sustento, visa promover a inclusão social e contribuir para a autonomia e independência. Serão 30 vagas, sendo no máximo 10 acolhidos por instituição. O investimento para as três unidades será de R$ 71.509,80, por mês.

Já as unidades para crianças e adolescentes que cumprem medida protetiva contará com 150 vagas e investimento mensal R$ 192.000 mil, custeado exclusivamente pela prefeitura de Salvador.

A titular da Sempre, Ana Paula Matos, destacou que o serviço atende a público especial “e merece todo cuidado da” Sempre. “Tive a oportunidade de ler as propostas da conferência anterior para saber quais foram os anseios e as propostas discutidas na edição passada.

Nada melhor do que começar uma conferência, assinando medidas tão concretas e que serão determinantes para gerar autonomia e inclusão. Os chamamentos são de fundamental importância para a sociedade pois atende públicos em condição de vulnerabilidade social, que necessitam de toda proteção por parte da Secretaria”, afirmou.

PUBLICIDADE