Publicado em 27/10/2015 às 15h17.

Equipes lutam para enviar ajuda após terremoto no Afeganistão

Já são mais de três centenas de nortos

Redação

Da Associated Press

As equipes de resgate lutavam para chegar nesta terça-feira nas regiões afetadas pelo terremoto que atingiu ontem o Paquistão e o Afeganistão e que já matou 363 pessoas e feriu mais de 2 mil. Helicópteros foram necessários para levar ajuda e suprimentos, uma vez que as regiões estão localizadas em locais remotos e estradas foram bloqueadas.

De acordo com autoridades afegãs e paquistanesas, 248 pessoas morreram no Paquistão e 74 no Afeganistão, de acordo com Ismail Kawusi, porta-voz do Ministério da Saúde do Afeganistão. Mais de 10 mil edifícios foram danificados ou destruídos. O número de mortos deve subir, uma vez que equipes de resgate tem chagado somente agora em comunidades isoladas na região montanhosa.

O tremor, de magnitude 7.5, teve o epicentro nas profundezas das montanhas Hindu Kush, que faz parte da cordilheira do Himalaia, localizada de uma província pouco povoada de Badakhshan, no Afeganistão, que faz fronteira com o Paquistão, Tajiquistão e China.

O governador de Badakhshan, Shah Waliullah Adeeb, disse que, ao todo, 13 distritos da

província tinham sido afetados, com mais de 1.500 casas destruídas ou parcialmente destruídas. Segundo ele, o número de mortos deve subir, uma vez que as equipes de resgate ainda estão chegando em algumas áreas remotas e aldeias.

Helicópteros foram necessários para atingir as aldeias mais remotas, que são inacessíveis pelas estradas. Além disso, deslizamentos de terra e queda de rochas bloquearam as poucas estradas existentes. Alimentos e outros itens essenciais estavam prontos para serem enviados, mas “chegar até lá está difícil”, disse Adeeb.

Os militares também estava distribuindo alimentos e cobertores para as pessoas de regiões remotas no noroeste e norte, onde foram registrados a maioria dos acidentes e danos.

Badakhshan é uma das regiões mais pobres do Afeganistão e é frequentemente atingida por terremotos, mas os números de vítimas são geralmente baixos porque não possui muitos habitantes. Menos de 1 milhão de pessoas vivem pelas vastas montanhas e vales. A região também sofre com inundações, tempestades de neve e deslizamentos de terra.

No Paquistão, o Vale do Swat e áreas ao redor das vilas de Dir, Malakand e Shangla, nas montanhas da província de Khyber Pakhtunkhwa, também foram duramente atingidas pelo terremoto. A cidade paquistanesa mais próxima do epicentro é Chitral, enquanto no lado afegão é o distrito de Jurm de Badakhshan. Mais de 2.500 casas no Paquistão foram danificadas.

Os Estados Unidos ofereceram abrigos de emergência e kits de abastecimento armazenados em

armazéns em todo o Afeganistão. Segundo o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, o governo dos EUA está em contato com autoridades do Afeganistão e do Paquistão e está pronto para prestar qualquer apoio adicional.

O Paquistão disse que não vai emitir apelo

PUBLICIDADE