Publicado em 05/10/2016 às 15h00.

Furacão se aproxima dos EUA; Obama cancela viagem à Flórida

Por causa da tempestade, presidente dos EUA desistiu de participar de comício em favor da candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton

Jaciara Santos
Rick Scott (Foto: Florida Legislature)
Rick Scott, governador da Flórida: ‘Os efeitos do furacão serão devastadores’. (Foto: Florida Legislature)

 

Depois de provocar a morte de 11 pessoas em países do Caribe, o furacão Matthew está se aproximando dos Estados Unidos. O presidente Barack Obama cancelou uma viagem que faria nesta quarta-feira (5) para a Flórida, onde iria participar de um comício em favor da candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton. O governador da Flórida, Rick Scott, pediu esta manhã que a população do estado esteja preparada para o pior. “Os efeitos do furacão serão devastadores”, disse.

Com o objetivo de tentar minimizar os prejuízos e proteger a vida dos moradores, os estados da Flórida, Georgia, Carolina do Sul e Carolina do Norte declararam estado de emergência. Em entrevista nesta quarta o governador Rick Scott explicou por que o estado declarou estado de emergência. Segundo ele, o furacão deverá atingir a costa da Flórida na quinta (6) à noite. Ele alertou a população para que esteja preparada para fazer deslocamentos, pois é provável que o furacão atinja “uma faixa considerável da costa atlântica do estado”.

O governador Rick Scott disse, durante a entrevista, que proteger a vida é a prioridade número um no momento.”Se o Matthew impactar diretamente a Flórida, haverá destruição em massa como não temos visto em muitos anos. Esta é uma tempestade mortal que se aproxima do nosso estado”, alertou

Segundo o governador Rick Scott, o estado colocou de prontidão milhares de integrantes da Defesa Nacional, socorristas e soldados. Todos eles deverão participar de um esforço de evacuação da população da costa para o interior do estado, caso seja necessário.

As escolas situadas na costa atlântica, em áreas que possivelmente serão atingidas pelo furacão, suspenderam as aulas por tempo indeterminado. Durante a entrevista, o governador de Miami pediu que, caso seja necessário, os moradores não devem resistir à orientação para que se desloquem para cidades do interior. “É melhor que todos se preparem rapidamente”, disse.

O Centro Nacional de Furacões em Miami informou hoje, pela manhã, que o furacão estava a 180 quilômetros da costa de Miami. O centro informou também que o furacão tem ventos de 180 quilômetros por hora.

Carolina do Sul – O governador da Carolina do Sul, Nikki Haley, também deu nesta quarta-feira uma entrevista sobre os preparativos que o estado vem realizando para prevenir prejuizos e proteger a vida dos moradores. Ele afirmou que orientou cerca de 250 mil pessoas que moram na costa do estado para que se dirijam para cidades do interior. Segundo Haley, parte da população de dois municípios – Charleston e Beaufort – já iniciará a transferência a partir da tarde de hoje.

Das 11 mortes provocadas pelo furacão Matthew, em países do Caribe, cinco ocorreram no Haiti. Além das mortes, o furacão provou também prejuízos diversos como quedas de ponte, rompimento de barragens, alagamentos e estradas intransitáveis. As comunicações com esses países por telefones também estão prejudicadas por causa da queda de postes e de fiações.