Publicado em 21/08/2019 às 12h00.

Trump cancela visita após Dinamarca rechaçar venda da Groenlândia

Primeira-ministra dinamarquesa, Mette Frederiksen, qualificou de "absurda" intenção expressa pelo americano de comprar Groenlândia

Redação
Foto: Reprodução/ Twitter
Foto: Reprodução/ Twitter

 

O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, cancelou na terça-feira (20) uma visita de Estado que faria à Dinamarca, após a primeira-ministra dinamarquesa, Mette Frederiksen, qualificar de “absurda” a intenção expressa pelo americano de comprar a Groenlândia.

Segundo a Agência Brasil, a proposta de Trump foi inicialmente recebida com uma mistura de incredulidade e escárnio pelos políticos dinamarqueses, com o ex-primeiro ministro Lars Lokke Rasmussen chegando a afirmar que se isso “deve ser alguma piada de 1º de abril”. Outros ficaram ofendidos com as intenções do americano. Mas o cancelamento da visita, marcada para os dias 2 e 3 de setembro, pegou muitos de surpresa.

“A Dinamarca é um país muito especial, com pessoas incríveis, mas com base nos comentários da primeira-ministra Mette Frederiksen, de que ela não teria interesse em discutir a venda da Groenlândia, eu decidi adiar nosso encontro, marcado para daqui a duas semanas, para outra data”, afirmou Trump em seu perfil no Twitter.

“Ao ser tão direta, a primeira-ministra conseguiu economizar enormes gastos e esforços, tanto para os Estados Unidos quanto para a Dinamarca”, disse Trump. “Lhe agradeço por isso e anseio por remarcar [a visita oficial] para alguma data no futuro”, ressaltou o presidente.

Líderes políticos do país reagiram com choque e perplexidade. Martin Lindegaard, ex-ministro dinamarquês do Exterior, disse que o comportamento do americano é “grotesco”, e chamou o episódio de uma “farsa diplomática”. A ex-primeira-ministra Helle Thorning-Schmidt disse que, com o cancelamento, Trump “insulta profundamente o povo da Groenlândia e da Dinamarca”.

PUBLICIDADE