Publicado em 20/09/2022 às 16h12.

Uganda anuncia surto de Ebola após confirmação de primeira morte desde 2019

Atualmente, já existem oito casos suspeitos

Redação

 

Foto: Reprodução/ EBC Rádios
Foto: Reprodução/ EBC Rádios

 

Agentes de saúde da Uganda anunciaram um novo surto de Ebola nesta terça-feira (20), após a confirmação de uma morte provocada por uma cepa relativamente rara do Sudão no distrito de Mubende, na região central do país.

Após testes de uma amostra coletada de um homem de 24 anos,  o Uganda Virus Research Institute confirmou a primeira morte pela doença desde 2019. O procedimento segue uma investigação em andamento da equipe Nacional de Resposta Rápida de seis mortes suspeitas que ocorreram no distrito este mês. Atualmente, já existem oito casos suspeitos que estão recebendo atendimento em uma unidade de saúde.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), já foram registrados sete surtos do vírus ebola do Sudão. Quatro deles ocorreram em Uganda, sendo o último em 2012, e três no Sudão. As taxas de letalidade do vírus variaram entre 41% e 100% em surtos anteriores.

“Esta é a primeira vez em mais de uma década que Uganda registra um surto de vírus Ebola do Sudão. Estamos trabalhando em estreita colaboração com as autoridades nacionais de saúde para investigar a origem deste surto, ao mesmo tempo que apoiamos os esforços para implementar rapidamente medidas de controle eficazes”, declarou Matshidiso Moeti, diretor regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para África, em comunicado.

A OMS afirma que oferece ajuda às autoridades de saúde de Uganda para a investigação. Foram enviados suprimentos para apoiar o atendimento e isolamento dos pacientes.

A Organização ressaltou que, mesmo que a vacinação em anel de pessoas de alto risco com a vacina Ervebo tenha sido altamente eficaz no controle da propagação da doença em surtos recentes, o imunizante tem aprovação apenas para proteger contra o Zaire vírus. “Outra vacina produzida pela Johnson & Johnson pode ser eficaz, mas ainda não foi testada especificamente contra o Ebola do Sudão”, disse.

 

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.