Publicado em 02/12/2020 às 15h16.

Visons infectados com Covid-19 fogem e colocam em risco vida humana e selvagem na Dinamarca

Cerca de 5% dos animais que fugiram podem estar infectados com uma variação do novo coronavírus, diz administração veterinária do país

Redação
Foto: Wikipédia
Foto: Divulgação/Wikipédia

 

Mesmo com o anúncio de que haveria o extermínio de milhares de visons e até de que alguns “voltaram à vida”, a Dinamarca enfrenta um novo problema com os animais: alguns espécimes infectados com a Covid-19 fugiram de fazendas e agora põem em risco a vida humana e selvagem da região. A informação é do jornal britânico The Guardian.

Segundo o portal IG, o jornal diz que a fuga desses animais é algo comum no país, conhecido pela produção de itens de vestuários com a pele dos visons. Segundo a publicação, o gerente de pesquisa veterinária da Administração Veterinária e Alimentar dinamarquesa, Sten Mortensen, afirmou que 5% dos visons que fugiram podem estar infectados com uma variação do novo coronavírus (Sars-Cov-2).

Ainda de acordo com o gerente de pesquisa, a chance de transmissão entre outros animais é pequena. No entnato, tal situação se deve pelo fato de os visons serem “muito solitários”, mantendo-se distante de outros seres vivos. Porém, ele ressaltou que as espécies mais vulneráveis são os furões, cães-guaxinim e animais domésticos, como cães e gatos.

Países como Holanda, Espanha, Suécia e EUA já identificaram visons infectados e também exterminaram os animais. Como desenvolveu mutação genética ao infectar a espécie, a Covid-19 se torna mais perigosa pela possibilidade, ainda não confirmada, de possuir resistência contra as vacinas que estão sendo desenvolvidas atualmente.