Publicado em 17/07/2019 às 10h49.

‘Convite pessoal’, diz Rui sobre vinda de Bolsonaro para inauguração do aeroporto

Governador afirmou que, “mesmo o atual governo não tendo contribuído financeiramente”, ligou para o ministro e pediu que o convite fosse estendido ao gabinete do presidente

Marina Aragão
Foto: Rodrigo Aguiar/bahia.ba
Foto: Rodrigo Aguiar/bahia.ba

 

O governador Rui Costa (PT) afirmou, nesta quarta-feira (17), que convidou “pessoalmente” o governo federal para participar da inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, no município de Vitória da Conquista, sudoeste baiano. A cerimônia de entrega está marcada para a próxima terça-feira (23). 

“Eu não gosto do ‘disse-me-disse’ da política. Fiz questão de ligar para o ministro [da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas,] e disse que estava estendendo o convite a todo o governo federal, inclusive ao presidente da República”, disse. Para ele, não pode “misturar o debate da política com o debate da gestão”.

É a primeira vez que o presidente vem à Bahia depois de eleito. Em maio, Bolsonaro esteve em Pernambuco, em sua primeira viagem ao Nordeste desde que assumiu a Presidência.

Sem contribuição do atual governo

Rui ressaltou, ainda, que “mesmo o atual governo não tendo contribuído com R$ 1”, entende que “representa o ente federal”. De acordo com o Ministério da Infraestrutura, trata-se do maior investimento do governo federal na aviação regional do país – com cerca de 95% dos recursos vindos da União.

O governador explicou que o primeiro convênio, da pista do aeroporto, foi assinado em 2012, com a ex-presidente Dilma Rousseff. Em 2015, a obra ficou pronta e, no mesmo ano, o governo assinou o convênio para a construção do terminal.

“Mesmo com a saída da presidenta Dilma, o governo federal continuou repassando os recursos dessa obra, e, em novembro do ano passado, ou seja, ainda durante o governo Temer, foi repassada a última parcela do recurso”, explicou o governador.

A obra foi concluída em janeiro deste ano. De acordo com Rui, os seis meses seguintes foram destinados a burocracia e inspeções técnicas. 

PUBLICIDADE