Publicado em 08/03/2017 às 07h55.

Exames confirmam oito casos de febre amarela silvestre em macacos

Até o momento nenhum caso da doença foi notificado em seres humanos na área do município, que ganhará um reforço de 100 mil doses extras da vacina

Redação
Vacina febre amarela (Foto: Reprodução / EPTV)
Vacina febre amarela (Foto: Reprodução / EPTV)

 

Exames de laboratórios confirmaram que oito macacos mortos estavam infectados com o vírus da febre amarela silvestre em Alagoinhas, no nordeste baiano. Em visita a zona rural do município, o  secretário estadual da Saúde, Fábio Villas-Boas, disse que foi o distrito de Calu, onde os macacos infestados foram localizados, está recebendo uma atenção especial com a pulverização com inseticidas nas moradias próximas da região de mata.

Até o momento nenhum caso da doença foi notificado em seres humanos na área do município, que ganhará um reforço de 100 mil doses extras da vacina foram encaminhadas para a secretaria de saúde da cidade, que já iniciou a vacinação, com grande procura por parte da população.

Duas amostras de macacos mortos na região ainda aguardam retorno do Instituto Evandro Chagas, que é o laboratório referência do Ministério da Saúde para estes casos. Os primatas são os principais hospedeiros da febre amarela silvestre. A infecção em humanos ocorre quando uma pessoa não vacinada acessa uma área de mata e é picada pelo mosquito contaminado.

Ocorrências- De acordo com boletim divulgado pela Secretaria da Saúde (Sesab), até o dia 1º de março de 2017, foram notificados 16 casos suspeitos em humanos nos municípios de Coribe (4), Feira de Santana (1), Ilhéus (1), Itamaraju (2), Itiúba (1), Mucuri (1), Nova Viçosa (1) e Teixeira de Freitas (3).



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.