Publicado em 14/01/2021 às 16h05.

Polícia prende homem suspeito de forjar suicídio da esposa após feminicídio

Exames no corpo da vítima revelaram que marcas não eram compatíveis com suicídio, mas indicavam que vítima foi violentada e estrangulada

Redação
Foto: Divulgação/Polícia Civil
Foto: Ilustrativa/ Divulgação/Polícia Civil

 

Agentes da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Paulo Afonso prenderam na quarta-feira (13) o homem suspeito de forjar suicídio da esposa após cometer o crime de feminicídio. Detalhes da investigação que levaram à prisão foram revelados pela delegada Antônia Jane, titular da Deam local. O suspeito deverá responder pelos crimes de estupro, feminicídio e fraude processual.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, Cíntia Maria da Silva foi morta em casa, em 10 de novembro de 2020, no bairro do Moxotó. O ex-companheiro da vítima, que não teve a identidade revelada, ligou para a polícia informando que tinha encontrado o corpo da vítima pendurado por um lençol.

No entanto, perícia no local do crime, no carro do suspeito e em imagens de câmeras de segurança, além de depoimentos de vizinhos, indicavam história diferente. O suspeito de feminicídio aparece nas imagens transportando um colchão na mala do veículo. Foram encontradas manchas de sangue no volante do carro.

Além disso, exames no corpo da vítima revelaram que as marcas de violência não eram compatíveis com suicídio. Pelo contrário, indicam que Cíntia foi violentada e morta por estrangulamento.

Familiares contaram à delegada que a vítima sofria maus tratos e já havia sido agredida. O motivo das agressões era ciúmes. A violência do suspeito, de acordo com a delegada, piorou depois do pedido de separação e o recomeço da vítima com um novo emprego.