Publicado em 10/09/2019 às 17h32.

ACM Neto e Bruno Reis foram surpreendidos com julgamento de Marcell no TRE

Se Tribunal decidir pela cassação, o TSE tem cerca de um ano para analisar um eventual recursos

Breno Cunha
Foto: Divulgação / Alba
Foto: Divulgação / Alba

 

O julgamento de uma ação contra o deputado Marcell Moraes (PSDB) no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) pegou de surpresa as principais lideranças da oposição na Bahia, incluindo o prefeito ACM Neto (DEM), o vice Bruno Reis (DEM) e a bancada de oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba).

Isso porque ele não avisou aos pares da oposição sobre a data do julgamento.

Com o pedido de vista feito por Jatahy Fonseca Júnior, o julgamento deve ser retomado na próxima segunda-feira (16) e, segundo apurado pelo bahia.ba, nos bastidores a expectativa é que a maioria dos sete desembargadores acompanhe o relator José Rotondano, como fez Freddy Pitta Lima.

Marcell não foi à Alba nesta terça, dia de sessão ordinária na Casa. Se o TRE decidir pela cassação, o Tribunal Superior Eleitoral deve analisar um eventual recursos no prazo de um ano.

A Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) pede o reconhecimento da prática de abuso de poder econômico e a cassação do mandato do deputado estadual. Se tiver o mandato cassado e ficar inelegível, ele pode perder a chance de disputar a Prefeitura de Vitória da Conquista em 2020, como pretende.

Tiago Correia (PSDB) é o suplente de Marcell na Alba.

PUBLICIDADE

Mais notícias