Publicado em 21/10/2019 às 13h09.

‘ACM Neto sempre gostou de vocês?’, questiona Eduardo Bolsonaro a Dayane Pimentel

Ao justificar a indicação de Alberto Pimentel para a prefeitura, Neto destacou a experiência do secretário

Chayenne Guerreiro
Foto: Reprodução/Instagram
Foto: Reprodução/Instagram

 

Em post no Twitter, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) instigou a colega de parlamento Dayane Pimentel (presidente do PSL na Bahia), após ela lhe criticar por seu elogio ao senador baiano Jaques Wagner (PT).

Eduardo sugeriu que a escolha do marido de Dayane, Alberto Pimentel, para a Secretaria de Trabalho do governo municipal de ACM Neto (DEM) teria sido feita sem nenhum indício técnico, e sim como troca de favores políticos, a chamada ‘velha política’, criticada duramente por toda a bancada do PSL nas eleições de 2018.

“Professora, conte-nos o segredo mágico do seu marido, morador de Feira de Santana que após a sua eleição virou secretário do governo municipal de Salvador? Vendeu a legenda do PSL em Salvador? Em Feira? Ou ACM Neto sempre gostou de vocês? Essa é sua nova política?”, questionou Eduardo Bolsonaro.

Dayane rebateu a fala do correligionário dizendo que a indicação seria um problema se Alberto fosse um funcionário fantasma. O que, segundo a deputada, não acontece, já que o secretário “está batendo recordes na pasta que assumiu, mostrando resultados”.

“Inclusive, é a administração do prefeito (ACM Neto), que seu pai disse que um dia ainda ocupará a presidência”, afirmou a presidente do PSL Bahia.

Desconhecida na política, a professora foi eleita em 2018 surfando na onda do ‘mito’ Bolsonaro, candidato vitorioso na disputa pela Presidência da República que acabou inflando o nanico PSL, que teve 11,6 milhões de votos somente para candidatos a deputado federal em todo o País. Graças ao ‘mito’, o PSL fez a segunda maior bancada na Câmara dos Deputados, com 52 eleitos.

A indicação do marido de Dayane veio três meses depois de ela conquistar 136 mil votos com um discurso contra a corrupção e o fisiologismo.

Na época, ao justificar a indicação de Alberto Pimentel para a prefeitura, ACM Neto destacou a experiência do futuro secretário. “É um quadro técnico, com vinculações políticas. Se agrega. Tem uma bela experiência na iniciativa privada”, afirmou o prefeito.

O marido de Dayane, que nunca exerceu nenhuma militância política em Salvador, era sócio de uma loja de perfumes e cosméticos no centro de Feira de Santana.

PUBLICIDADE

Mais notícias