Publicado em 17/09/2019 às 19h20.

Após pressão, Senado desiste de afrouxar regras eleitorais

O texto aumentava brechas para caixa dois e diminuía a possibilidade de punição por irregularidades, entre outros pontos

Redação
Foto: Marcos Araújo/ Agência Senado
Foto: Marcos Araújo/ Agência Senado

 

Após pressão interna e externa, o Senado desistiu de votar o relaxamento das regras eleitorais, informa a Folha.

No final da tarde desta terça-feira (17), o senador Weverton Rocha (PDT), relator do texto, e o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM), anunciaram um acordo, que prevê votar somente as normas sobre o fundo eleitoral.

As demais mudanças propostas serão rejeitadas – o texto aumentava brechas para caixa dois e diminuía a possibilidade de punição por irregularidades, além de esvaziar os mecanismos de controle e transparência na utilização de verbas públicas eleitorais.

Após votação no plenário do Senado, a matéria terá que retornar à Câmara dos Deputados, onde deve ser apreciada na quarta-feira (18).

O objetivo é dar ao presidente Jair Bolsonaro a condição de sancionar o texto antes de 4 de outubro, quando se encerra o prazo para que a regra esteja em vigor no pleito do próximo ano.

PUBLICIDADE