Publicado em 17/01/2022 às 16h25.

Bolsonaro afirma ter feito ‘a coisa certa’ na gestão da pandemia

Presidente negou se antivacina e nem contrário a campanha de vacinação no Brasil

Redação
Foto: Marcos Corrêa/PR
Foto: Marcos Corrêa/PR

 

Após diversas falas contrárias a vacina contra o coronavírus, durante os dois anos de pandemia, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que não é antivacina e nem contrário a campanha de vacinação no Brasil. Além disso, ele defendeu as ações do governo federal durante a gestão da pandemia no país, afirmando ter feito “a coisa certa”. Apesar do discurso, o presidente alega não ter se vacinado.

“Deixo bem claro, foi o nosso governo que comprou 400 milhões de doses de vacinas. Continuam me acusando de ser contra a vacina, mas como contra se eu comprei 400 milhões de doses?”, afirmou Bolsonaro em entrevista, à rádio Viva, do Espírito Santo.

Bolsonaro voltou a criticar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que deu autonomia para que governadores e prefeitos implementassem medidas sanitárias. A decisão foi instituída em 2020 e é utilizada por bolsonaristas para defender possíveis omissões do presidente em relação a Covid-19. Ele afirmou que teria pronto um roteiro de ações caso o STF suspendesse a decisão e restabelecesse o comando das ações da pandemia ao governo federal.

Em relação à inclusão de crianças de 5 a 11 anos no Programa Nacional de Imunizações (PNI), continuou com posição contrária, porém sem críticas à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que aprovou a vacinação deste público contra a doença.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.