Publicado em 20/01/2021 às 18h40.

Bolsonaro cumprimenta Biden e fala em defesa de liberdades e democracia

Bolsonaro ainda disse estar disposto a continuar a parceria em prol do desenvolvimento sustentável e proteção do meio ambiente

Redação
Foto: Fabio Rodrigues/Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues/Agência Brasil

 

O presidente Jair Bolsonaro usou seu perfil no Twitter para cumprimentar Joe Biden, empossado presidente dos Estados Unidos nesta quarta-feira (20). O democrata é o 46º presidente da história do país.

De acordo com Bolsonaro, foi enviada ao novo presidente americano uma carta na qual expõe os interesses do Brasil em relação aos Estados Unidos, como abrangente acordo de livre comércio e reforma de governança internacional em cooperação com os americanos. No documento, Bolsonaro disse estar disposto a continuar a parceria em prol do que chamou de desenvolvimento sustentável e proteção do meio ambiente, especificamente a Amazônia.

O presidente chegou a dizer até que ambos os países coincidem na defesa da democracia e da segurança na América, com atuação conjunta contra ameaças que coloquem em risco conquistas democráticas em nossa região. A afirmação é feita dias após Bolsonaro ter dito que a democracia no Brasil depende da decisão das Forças Armadas.

 

A carta também menciona a pandemia de coronavírus, cujos índices de contaminação e óbitos são os maiores nos Estados Unidos e no Brasil. Sobre isso, Bolsonaro disse ser necessário enfrentar lado a lado o que classificou como “graves ameaças” do mundo pós-Covid: crime organizado transnacional; distorções ao comércio mundial e ao fluxo de investimentos oriundos de práticas alheias ao livre mercado; e a instrumentalização de organismos internacionais por uma agenda contrária à democracia.

Já no Twitter, Bolsonaro destacou a relação histórica entre os dois países.

“A relação Brasil e Estados Unidos é longa, sólida e baseada em valores elevados, como a defesa da democracia e das liberdades individuais. Sigo empenhado e pronto para trabalhar pela prosperidade de nossas nações e o bem-estar de nossos cidadãos”, disse Bolsonaro.

O aceno de Bolsonaro é mais ameno do que as declarações do presidente braisleiro sobre o candidato que tirou as chances de reeleição de Donald Trump. Bolsonaro apoiou publicamente a candidatura do republicano, foi um dos últimos líderes mundiais a parabenizar Biden pela vitória e ainda sustentou as acusações de Trump, sem provas, sobre fraude nas eleições presidenciais.

Na ocasião da invasão do Capitólio por extremistas trumpistas, no início de janeiro, Bolsonaro chegou a dizer que poderia acontecer algo semelhante no Brasil em 2022.