Publicado em 14/12/2019 às 15h30.

Bolsonaro planeja reforma ministerial para o início de 2020

As mudanças na equipe devem começar a acontecer no final de janeiro

Redação
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

 

O presidente Jair Bolsonaro planeja uma reforma ministerial no primeiro escalão, logo no início de 2020. Os novos nomes devem ser anunciados até fevereiro. De acordo com o jornal Folha de São Paulo, Bolsonaro pretende trocar três nomes: Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Abraham Weintraub (Educação) e Bento Albuquerque (Minas e Energia).

As mudanças na equipe devem começar a acontecer no final de janeiro, antes da retomada das atividades do Congresso. Bolsonaro não deve fazer uma reforma ampla, e as trocas serão graduais.

Na Casa Civil, Onyx passa por um longo processo de desgaste desde o início do governo, tendo perdido as funções de articulação política e coordenação jurídica da Presidência.

Entre as opções de substitutos para Weintraub, há indicações de um nome evangélico, o que garantiria a visão ideológica de Bolsonaro à frente da Educação. Se confirmada, a saída do ministro será a segunda baixa na pasta vista como chave por Bolsonaro desde a campanha eleitoral.

Já na equipe econômica, Bolsonaro estuda a saída do almirante de esquadra Bento Albuquerque, de Minas e Energia. A ideia é indicá-lo para a vaga destinada à Marinha no STM (Superior Tribunal Militar).