Publicado em 23/10/2020 às 18h40.

Bolsonaro se reúne com GSI, Abin e defesa de Flávio para tratar de ‘rachadinhas’

Filho de Bolsonaro é investigado pelo Ministério Público por suspeita de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa

Redação
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

 

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu com advogados de seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), para discutir “irregularidades” de informações em relatórios de investigação fiscal produzidos por órgãos federais sobre o parlamentar. O encontro envolveu ainda o ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, e Alexandre Ramagem, diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

A informação foi revelada pela Revista Época e confirmada pelo jornal O Estado de S.Paulo. De acordo com a publicação, a reunião não foi registrada na agenda oficial do presidente, nem na agenda de Augusto Heleno.

Flávio Bolsonaro é investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) por suspeita de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A investigação foi baseada em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que identificou “movimentações financeiras atípicas” de 75 assessores ou ex-assessores de deputados estaduais.

No caso particular de Flávio Bolsonaro, foram movimentados R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017, quantia incompatível à sua renda. A suspeita do Ministério Público é que o ex-assessor Fabrício Queiroz operava, a mando do filho de Bolsonaro, um esquema de “rachadinha”, no qual parte dos salários é repassada ao parlamentar. Queiroz e Flávio negam as irregularidades.

Em nota, a defesa de Flávio Bolsonaro afirmou que a reunião com Bolsonaro, o GSI e a Abin foi motivada pela diferença, “em muito”, das características, conteúdo e forma do relatório de Flávio em relação aos elaborados em outros casos. A GSI foi acionada por se tratar de membro da família do presidente, acrescentou a defesa. A Presidência não se manifestou.