Publicado em 18/02/2019 às 19h00.

CMS: imbróglio sobre liderança de governo continua após duas semanas de retorno dos trabalhos

Conforme apurou o bahia.ba, indefinição quanto ao futuro de Carballal explicaria a demora do prefeito em indicar novo líder

Rodrigo Aguiar
Foto: Luiza Lopes/bahia.ba
Foto: Luiza Lopes/bahia.ba

 

Passadas duas semanas da reabertura dos trabalhos na Câmara Municipal de Salvador (CMS), o prefeito ACM Neto (DEM) ainda não conseguiu resolver o imbróglio que envolve a liderança do governo na Casa.

A situação tem gerado certo mal-estar dentro da bancada governista, ao ponto de vereadores aliados do Thomé de Souza alertarem para a necessidade de definição do novo líder.

Opositores do prefeito já chegaram a ironizar a situação, ao dizer em sessões passadas que “o barco está à deriva”.

Conforme apurou o bahia.ba, o vereador Henrique Carballal (PV) tinha a expectativa de assumir um cargo na administração municipal quando deixasse o posto de líder de Neto na Câmara.

Chegou a ser especulada a ida de Carballal para a Secretaria de Trabalho, Esportes e Lazer (Semtel), o que acabou não ocorrendo. Carballal teria ainda recusado assumir qualquer comissão no Legislativo como forma de “compensação”.

A indefinição quanto ao futuro de Carballal explicaria, portanto, a demora do prefeito em efetivar na liderança do governo o vereador Paulo Magalhães Júnior (PV), apontado como favorito para a função desde o ano passado.

Para complicar ainda mais a situação, Magalhães já deixou de ter direito a algumas nomeações na Casa por ter deixado a presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, relatou um vereador à reportagem.

PUBLICIDADE

Mais notícias