Publicado em 16/06/2021 às 16h47.

Conselho de Ética da Alba muda depoimento de Capitão Alden para 7 de julho

Colegiado informou já ter recebido documentação referente à defesa do deputado bolsonarista

Redação
Foto: Carla Ornelas/GOV-BA
Foto: Carla Ornelas/GOV-BA

O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) marcou para 7 de julho a data em que o deputado Capitão Alden (PSL) terá de prestar esclarecimentos no âmbito da representação da qual é alvo por acusar colegas da oposição de receber R$ 1,6 milhão, em pagamentos mensais, da Prefeitura de Salvador. Na sessão em que aprovou a convocação do deputado, o colegiado havia informado que a oitiva aconteceria em 8 de julho.

“Na última reunião nós aprovamos a convocação do deputado Capitão Alden para o dia 8 de julho. Mas vai cair em uma quinta-feira, e nossas reuniões são nas quartas”, disse, em nota divulgada nesta quarta (16), o deputado Marquinho Viana (PSB), presidente do conselho.

Segundo Viana, a documentação correspondente à defesa de Alden foi enviada na terça (15), dois dias antes do prazo-limite para encaminhá-la.

Ainda de acordo com Viana, o conselho procurou atender todas as solicitações de Alden, dentre as quais a cessão de informações e materiais, a fim de não gerar obstáculos para a construção de sua defesa. “Atendemos praticamente todos pedidos dele. Inclusive enviamos uma mídia com o conteúdo gravado por ele mesmo. Só não foi possível acatar o pleito de sigilo de Justiça. Capitão Alden queria que as sessões do Conselho de Ética e Decoro em relação ao seu processo disciplinar fossem realizadas às portas fechadas, mas isso não foi acatado por unanimidade”, afirmou.

A sessão de esclarecimento terá transmissão ao vivo da TV Alba. No dia será aberto para cada deputado fazer eventuais questionamentos acerca do ocorrido. Alden poderá optar por depor de forma presencial ou virtual, uma vez que a sessão foi aprovada em formato semipresencial.

O processo ético-disciplinar que poderá resultar na cassação do mandato de Capitão Alden foi aberto atendendo a um pedido assinado pelos 11 deputados da oposição, acusados pelo bolsonarista de se beneficiar com p  suposto “mensalinho”.

Na representação que deu origem à representação, os parlamentares alvos das insinuações argumentam que Alden, “de forma leviana e irresponsável”, aponta possíveis condutas criminosas aos seus pares, companheiros de bancada.

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.