Publicado em 06/10/2019 às 08h30.

Depoimento e planilha ligam campanha de Bolsonaro a esquema de candidaturas laranjas

Segundo jornal, ex-assessor do ministro do Turismo teria apontado que campanha presidencial se beneficiou de candidaturas laranjas no PSL

Redação
Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil
Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

 

Um depoimento do ex-assessor do ministro do Turismo, Álvaro Antônio, dado à Polícia Federal, e uma planilha apreendida em uma gráfica, ligam pela primeira vez o presidente Jair Bolsonaro ao esquema de candidaturas laranjas do PSL.

Segundo a Folha de São Paulo, Haissander Souza de Paula, assessor parlamentar de Álvaro à época e coordenador de sua campanha, disse à PF que “acha que parte dos valores depositados para as campanhas femininas, na verdade, foi usada para pagar material de campanha de Marcelo Álvaro Antônio e de Jair Bolsonaro”.

Em uma planilha, nomeada como “MarceloAlvaro.xlsx”, há referência ao fornecimento de material eleitoral para a campanha presidencial de Bolsonaro com a expressão “out”, o que significa, para os investigadores, pagamento “por fora”.

Haissander foi preso por cinco dias no final de junho. No depoimento em que aponta para as suspeitas de caixa dois, ele disse que “com certeza Lilian não gastou os R$ 65 mil recebidos”. Lilian Bernadino seria uma das quatro candidatas laranjas reveladas pela Folha em uma série de reportagens.

Em nota, a defesa de Marcelo Álvaro Antônio informou que a investigação de candidaturas laranjas no PSL não apontou para nenhum ato irregular do ministro. Procurada, a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto afirmou que não comentaria.



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.