Publicado em 10/03/2016 às 07h29.

Depois de tomar café com PT, PMDB janta com PSDB em clima de aliados

A cúpula peemedebista aceitou um convite do senador tucano Tasso Jereissatti para um jantar, em Brasília

Redação
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

 

Depois de tomar café da manhã com o ex-presidente Lula, a cúpula do PMDB aceitou um convite do senador Tasso Jereissatti (PSDB-CE) para um jantar, em Brasília.

Do lado do PMDB, participaram o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), o líder da sigla na Casa, Eunício Oliveira (CE) e o senador Romero Jucá (RR). Já a cúpula do PSDB compareceu em peso. Foram ao local o senador Aécio Neves (MG), dirigente nacional da legenda, e os colegas José Serra (SP), Antonio Anastasia (MG), Cássio Cunha Lima (PB) e Aloysio Nunes (SP).

Ao final da reunião, Tasso endossou o coro de união das duas siglas. “Há uma constatação de que o momento é bastante grave. Tanto o PMDB como o PSDB não podem ficar omissos. Vamos trabalhar juntos para encontrar, o mais breve possível, uma saída para a crise que o Brasil vive”, disse.

O peemedebista Eunice disse que o motivo do jantar foi para buscar saída para a crise. “Essa aqui é uma conversa de gente adulta preocupada com o país. Não viemos aqui derrubar o governo Dilma”, contou. Sobre o impeachment, ele disse ainda que as duas siglas vão trabalhar para “aglutinar outras forças políticas a esse processo”, numa indicação de que começarão a consultar líderes de outras legendas. Eunício disse que não foi traçado um plano definitivo, mas admitiu que entre os cenários projetados pelos senadores estava o impeachment da presidente.

Temas: jantar , PMDB , PSDB

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.