Publicado em 19/10/2021 às 09h37.

Deputado bolsonarista pede desculpas por chamar Papa de pedófilo, vagabundo e safado

Presidente da Alesp repudiou palavras e disse que elas extrapolaram os limites da liberdade de expressão e da imunidade parlamentar

Redação
Foto: Divulgação / Alesp
Foto: Divulgação / Alesp

 

O deputado paulista Frederico d’Avila (PSL) pediu desculpas após ter chamado o papa Francisco e o arcebispo de Aparecida (SP), dom Orlando Brandes, de “pedófilos”, “vagabundos” e “safados'”.

Em discurso na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), na semana passada, d’Avila proferiu ataques verbais em reação a críticas feitas por Brandes em sermão de missa no feriado de 12 de outubro.

“Não poderia deixar de começar esta carta pedindo desculpas pelo excesso cometido quando do meu pronunciamento na tribuna no dia 14 de outubro, inflamado por problemas havidos nos dias anteriores”, disse d’Avila em uma carta aberta.

O presidente da Alesp, Carlão Pignatari (PSDB), também pediu desculpas, em nome da Casa, ao papa e ao arcebispo. Disse que repudia palavras que extrapolem “os limites da liberdade de expressão e da imunidade parlamentar”.

No texto divulgado nesta segunda-feira (19), d’Ávila afirma que acredita “na fundamental importância da Igreja Católica e na inabalável fé cristã como um dos pilares da nossa sociedade”.



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.