Publicado em 12/04/2016 às 10h19.

Deputado do DEM pede candidatura de Neto em 2018: ‘Cenário ideal’

Sobre a hipótese de o prefeito se eximir de 2018 e anunciar que pretende permanecer no Palácio Thomé de Souza até 2020, parlamentar assegura permanecer aliado

João Brandão
(Foto: Evilásio Junior / bahia.ba)
(Foto: Evilásio Junior / bahia.ba)

 

O deputado estadual Alan Sanches (DEM-BA) defendeu que o prefeito ACM Neto, seu correligionário, saia candidato à reeleição este ano, mas afirmou que o ideal é o gestor soteropolitano interromper um possível segundo mandato para concorrer ao governo do Estado em 2018. Em entrevista ao programa Uziel Tá na Área, com Evilásio Júnior, na Rádio Vida FM 106,1, nesta terça-feira (12), o parlamentar comentou ainda a especulação de que o democrata poderia integrar uma chapa presidencial, em caso de eleições gerais, se houver impugnação de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB). “O prefeito ACM Neto é extremamente inteligente. Você parece que está conversando com um velho de 65 anos por causa da sua experiência. Ele se preparou para qualquer cenário, mas acho que o cenário ideal é a reeleição dele. A gente acha que ele ganha com mais de 70% no primeiro turno”, opinou.

Em relação à disputa para vice, Sanches acredita que a escolha pode ser feita às vésperas da eleição, como foi o caso da atual Célia Sacramento, então no PV e atualmente no PPL. “Na eleição passada, o vice mudou um pouco antes de apresentar a chapa. Pode ter o nome de um vice agora, mas pode mudar também na hora”, disse. Sobre a hipótese de Neto se eximir da próxima disputa estadual e anunciar que pretende permanecer no Palácio Thomé de Souza até 2020, o parlamentar assegurou permanecer aliado do prefeito. “Estou no projeto de ACM Neto. Estarei com ele, seguindo a orientação dele. O projeto do grupo é muito forte”, afirmou.

PSD – Apesar de ter rompido com o governador Rui Costa (PT), Sanches elogiou o senador Otto Alencar, presidente estadual do PSD, partido que deixou em agosto do ano passado. “Otto é excepcional. Não tenho uma vírgula contra ele. Extremamente correto comigo e também está sendo com Rui. Se está apoiando, ele fica até o final. Qualquer decisão que ele venha tomar, só toma no final do governo. É assim que ele trabalha, de forma extremamente honrada”, contou.

PUBLICIDADE