Publicado em 03/12/2019 às 11h16.

Deputados do PSD temem que Rui se afaste de discussão sobre reeleição na Alba

Governador participou de acordo entre PP, PSD e PSB pela presidência da Casa nos 4 anos de seu segundo mandato

Breno Cunha
Foto: Divulgação / Alba
Foto: Divulgação / Alba

 

A gestão de Nelson Leal (PP) como presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) vai chegando à metade nesta virada de ano e as conversas sobre a sucessão do pepista ganham cada vez mais força nos bastidores da Casa.

A bancada do PP, com 10 deputados, com o apoio da oposição e de outros parlamentares da base de Rui, quer brigar por um projeto que garanta à possibilidade de Leal concorrer novamente ao comando da Alba na próxima eleição para a mesa diretora.

O argumento é que não seria justo ele deixar o comando da Casa e entregá-la para o PSD depois de passar dois anos lidando com o déficit deixado pela gestão de Angelo Coronel (PSD).

Por outro lado, deputados do PT e do PSD confiam que a participação do governador Rui Costa (PT) no acordo entre Nelson Leal, Adolfo Menezes (PSD) e Alex Lima (PSB), no ano passado, evite qualquer possibilidade de “golpe”, como está sendo chamado o movimento dos pepistas.

O bahia.ba apurou que, atualmente, o maior receio da ala que quer Adolfo Menezes como próximo presidente da Casa é que Rui se afaste do processo. Meses atrás, em um encontro com Adolfo Menezes, o governador garantiu que o PP cumpriria o acordo feito entre os partidos.

Hoje, a avaliação é que nem Rui poderia dar esta garantia à sua base.

Além disso, Leal fez questão de manter uma inesperada proximidade com o governador desde o primeiro dia do seu mandato. O presidente da Alba não teve qualquer atrito com o Palácio de Ondina, bem diferente de Coronel e Marcelo Nilo, seus antecessores, e afastou qualquer possibilidade de pleitear junto a Rui voos maiores no futuro.

PUBLICIDADE
Temas: nelson leal , pp