Publicado em 25/01/2021 às 19h00.

‘Ele já cometeu crime’, afirma Maia ao propor CPI para investigar Pazuello

Presidente da Câmara cita recomendação do tratamento precoce da Covid-19, não resposta à Pfizer e a não aceleração da vacina em parceria com Butantan

Redação
Foto: Maryanna oliveira/Agênciia Câmara
Foto: Maryanna oliveira/Agênciia Câmara

 

Além de defender uma CPI para investigar o Ministério da Saúde, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (25) que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, cometou crime de responsabilidade. “A irresponsabilidade de orientar o tratamento precoce, de não ter respondido à Pfizer, de não ter se aliado ao Butantan para acelerar a vacina. Tudo isso caracteriza crime e a PGR vai investigar”, afirmou.

No sábado, o procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao Supremo Tribunal Federal a abertura de um inquérito contra Pazuello, por vislumbrar indícos de uma ação demorada no socorro ao sistema de Saúde do Amazonas, que entrou em colapso por falta de oxigênio. Para o deputado, não será tarefa da Câmara afastar Pazuello do cargo, e sim do inquérito condizido pela PGR.

Maia defendeu uma ampla investigação sobre a atuação do ministro. “É crime, crime contra a população de não ter respondido à Pfizer, de ter tratado de forma irrelevante. Só que os crimes precisam ser investigados e esperamos que essa CPI possa esclarecer tudo e dizer quais responsabilidades de cada um no momento mais grave de todos”, disse.