Publicado em 25/06/2022 às 18h30.

Em discurso durante marcha evangélica, Bolsonaro não cita escândalo do MEC

Escândalo levou à prisão do ex-ministro da Educação nesta semana

Redação
Foto: NSC/TV
Foto: NSC/TV

 

Durante discurso do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), no evento religioso Marcha para Jesus em Balneário Camboriú, na manhã deste sábado (25), ele não citou o escândalo do Ministério da Educação, que investiga suspeita de tráfico de influência e corrupção na pasta, e que levou a um pedido de investigação contra o presidente.

“Um milagre a minha sobrevivência. Porque não dizer quase um milagre uma eleição. Depois também formar um ministério com pressões as mais variadas possíveis para que Brasília continuasse como sempre esteve ao longo das últimas décadas. Fizemos o contrário, apostamos, porque sempre devi lealdade a este povo que está aqui à minha frente”, disse Bolsonaro em discurso.

O político também voltou a defender o armamento da população e diz ter “um exército que se aproxima dos 200 milhões”.

“Sempre tenho falado das quatro linhas da Constituição. Tenham certeza, se preciso for, e cada vez mais parece que será preciso, nós tomaremos as decisões que devam ser tomadas. Porque cada vez mais eu tenho um Exército que se aproxima dos 200 milhões de pessoas nos quatro cantos deste Brasil”, disse Bolsonaro.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.