Publicado em 23/01/2022 às 08h26.

Em prisão domiciliar, Marcos Valério não pagou multa de R$ 9,8 milhões por crimes

Advogado de defesa de Valério, alega que não há como pagá-la com os bens bloqueados

Redação

foto-marcos-valerio

 

A defesa do publicitário Marcos Valério, condenado a 37 anos de prisão no mensalão, pediu ao Supremo Tribunal Fedeal (STF) a progressão de regime de semiaberto para aberto. A informação é da coluna de Lauro Jardim, doi jornal O Globo.

Valério já se encontra em prisão domiciliar, mas em decorrência da Covid-19. Se o ministro Luís Roberto Barroso conceder o benefício, Valério poderá continuar em casa mesmo com o fim da pandemia.

 De acordo com a publicação, Marcos Valério, porém, ainda não pagou a multa pecuniária de R$ 9,8 milhões aplicada pela Justiça pela prática dos crimes de peculato, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, nos autos da Ação Penal 470.

Faber Vieira, advogado de defesa de Valério, alega que não há como pagá-la com os bens bloqueados.

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.